sábado, 20 de dezembro de 2008

"ISSO É UM BEIJO DE DESPEDIDA, SEU CACHORRO!"

E eu já sinto falta dele...


Quando perguntaram ao Bush sobre o incidente no qual um sapato foi atirado contra ele por um jornalista iraquiano (já devidamente preso e espancado), ele respondeu calmamante: "tudo que posso dizer é que era tamanho 41".

Ah puxa adoro esse cara. Ele é ao mesmo tempo o vilão que todos amam odiar e o alivio cômico da cena política, se é que tal circo o necessita. Por oito maravilhosos anos, você, eu e minha mãe sabíamos a quem culpar pelos problemas do mundo, tivémos noção do quanto pode ser pateta o homem que mantém o mundo na palma da mão e rimos como loucos com os esquetes do SNL que tiravam sarro daquele texano doido. Aliás, parabéns ao três atores que o interpretaram: Will Ferrell, Will Forte e Jason Sudeikis. Vocês foram ótimos!!! Sem falar em todas os outros comediantes, músicos e jornalistas que começaram a falar quando o povo americano caiu na real e percebeu que tinha entrado numa furada do mesmo tipo daquele seu tio que comprou um carro de um sujeito na rua que usava bermuda. É claro, meus parabéns para todos 
aqueles que soltaram o verbo antes disso e aguentaram o pior, como as Dixie Chicks. Puxa, eu nem conhecia essas meninas antes, mas agora eu as adoro! E a música é boa também. Mas os maiores parabéns vão mesmo para o Bush. é incrível como ele atraiu tanto ódio em tão pouco tempo. Pois oito anos é pouco tempo para estragar o mundo. Puxa, o mundo é grande! Certo que ele já não era grande coisa, mas se aguentava. Hoje... Uau! Parece um makeover que deu errado. O Brasil já andava mal das pernas e o Lula ainda não conseguiu estragar tanto assim, e olha que no nosso caso a maior parte do trabalho já está feita.


Agora vai entrar o Obama e o mundo pode entrar no caminho certo... Que bom... Só espero que haja espaço pra tirar sarro, pois ele parece perfeito demais. Será difícil superar seus predecessores. Bush Pai, que parecia um espantalho feito de couro - e provavelmente era - Bill Clinton, que tocava saxofone e curtia sexo bizarro com as estagiárias, e o incomparável Bush Filho, o pilantra mais sacana que já ejaculou na Casa Branca. Isso realmente é um beijo de despedida... Adeus, George. Estaremos pensando em você quando o novato der sua primeira mancada.




E termino com a chamada do vindouro filme de Oliver Stone sobre a vida desse maluco, referindo-se a um termo que ele mesmo "cunhou":

"Uma vida mal-subestimada".



2 comentários:

Leandreis disse...

Cara, e eu acabei de ler um jornalista falando que aquela jogada de sapato foi muito hirônica, pois só prova que pelo menos uma coisa o Bush fez certo: Antes dele acabar com o Saddan, nenhum jornalista jamais teve liberdade para se expressar desse jeito sem medo de ser fuzilado.
Doido, não?!

disse...

Caramba, melhor post da história. E olha que eu leio muitos blogs.